quarta-feira, 30 de março de 2011

Arquitetura - Centro de Pesquisa Marinha na Indonésia faz uso de energias renováveis

O Centro de Pesquisa Marinha, em Bali, utiliza energias renováveis locais para abastecer energeticamente toda a plataforma. Totalmente eficiente o local utiliza a energia das marés, do sol, dos ventos e recolhe água da chuva. (Imagem:Divulgação
Centro de Pesquisa Marinha na Indonésia faz uso de energias renováveis

O concurso de design internacional para um centro de pesquisa marinha, em Bali, na Indonésia deu a empresa Solus4 a oportunidade de estudar e interpretar arquitetonicamente a estrutura de um tsunami. A competição, co-patrocinada pela Arquitectum e pela Universitas Pelita Harapan da Indonésia, procurou responder à necessidade de investigação e preparação para um tsunami, em resposta à devastação causada pelo terremoto de 2004 no Oceano Índico. 
O Centro de Pesquisa Marinha localiza-se fora da costa, paralelo Praia de Kuta, em Bali, porém está a cem metros da costa, permitindo que a maré gere correntes para atender às exigências de energia. Em consonância com a natureza o projeto destina-se a ser totalmente eficiente energeticamente e integra uma série de tecnologias de energias renováveis. Além da energia das marés, o plano prevê a utilização da energia solar passiva com uso de vidro de baixo emissividade e materiais de fibra de vidro de alta refletividade, ventilação natural e recolha de águas pluviais. 
Grandes painéis à base de vidro formam a pele - transparente e opaca como as células PV. Águas pluviais e sistemas de conversão de água salgada cuidam das necessidades de água doméstica do local. A água do mar mais profunda circula através da estrutura, para o resfriamento e controle da temperatura. 
A construção tem um formato que se assemelha aos padrões de uma onda de tsunami. Dentro de uma área de 2.500 m2, a estrutura possui laboratórios de pesquisa submarinos, auditório, quartos para os cientistas, piscinas de água salgada, bares e jardins aquáticos. 
O programa é composto por três formatos: públicos, semipúblicos e privados. Os espaços estão localizados acima e abaixo da água permitindo que os visitantes e os cientistas tirem vantagem da maravilhosa paisagem que cerca o projeto. 
Maremotos, o tipo mais comum na Indonésia, com epicentro próximo às linhas de costa formam a base conceitual da proposta arquitetônica. Ele usa o padrão inicial elíptico e diagramas de seção transversal da onda de tsunami, um dos principais focos do centro de pesquisa e esforços de prevenção, como os geradores de morfologia e guias de organização programática. 
O projeto é esteticamente imponente e perfeitamente integrado ao seu ambiente aquático natural. O resultado é uma estrutura fluida com conexão imediata e direta com o exterior. O centro irá servir não somente como um ícone da arquitetura de Bali, mas também como um modelo internacional para a concepção moderna e sustentável com utilização de energias renováveis ​​locais. 

Fonte: Redação CicloVivo

Videos - A Carta da Terra Brasil

A Carta da Terra Brasil

A Carta da Terra é uma declaração de princípios éticos fundamentais para a construção, no século 21, de uma sociedade global justa, sustentável e pacífica. Busca inspirar todos os povos a um novo sentido de interdependência global e responsabilidade compartilhada voltado para o bem-estar de toda a família humana, da grande comunidade da vida e das futuras gerações. É uma visão de esperança e um chamado à ação.

Tecnologia - Chinês cria dispositivo de limpeza que não precisa de água para lavar roupa

Inflower é alimentado por energia solar e utiliza a nanotecnologia para limpar a roupa e, portanto, a água não é necessária. Tudo que você tem a fazer é colocar esse dispositivo no local que precisa de limpeza e deixá-lo fazer o resto. (Imagem:Divulgação)

 Chinês cria dispositivo de limpeza que não precisa de água para lavar roupa


 A possível falta de água no mundo e a vontade de conciliar os conceitos de design e sustentabilidade em um único projeto fizeram com que Jianjiang Yin, designer chinês, criasse o conceito "Inflower", que propõe uma nova realidade no processo de lavagem de roupas.
Quando pensamos em lavar as roupas, imaginamos as peças imersas em litros d’água, desperdiçados ao final de cada lavagem. Para diminuir o impacto ambiental e ajudar a preservar a fonte, algumas pessoas reaproveitam essa água final para lavar quintais e áreas externas. Mesmo assim ainda existe um grande desperdício. 
A invenção do chinês surge para eliminar totalmente os gastos desnecessários com água durante a lavagem de roupas, pois ela limpa o vesturário sem usar uma gota desse bem tão precioso. O projeto foi semi-finalista do concurso Electrolux Design Lab 2010, e trata-se de um dispositivo de limpeza de roupas em miniatura, com formato que lembra uma flor e do tamanho de uma mão. 
O objeto é alimentado por energia solar e utiliza a nanotecnologia para limpar a roupa, no lugar da água. Tudo o que o usuário precisa fazer é colocá-lo no local que precisa de limpeza e deixá-lo fazer o resto. Além disso, ele também funciona como um purificador de ar. 
Seu pequeno tamanho faz com que seja prático de carregar e eficiente com relação ao espaço. O "Inflower" pode ser usado tanto em roupas que estão em uso quanto nas que estão guardadas.
 

Fonte: Redação CicloVivo

Aquecimento Global - 1 bilhão de pessoas podem sofrer com escassez de água nos próximos 40 anos

 

1 bilhão de pessoas podem sofrer com escassez de água nos próximos 40 anos


A urbanização e o aquecimento global poderão deixar um bilhão de pessoas em grave escassez de água, nas próximas quatro décadas. Os resultados dessas mudanças serão sentidos principalmente em países em desenvolvimento, como Índia e China.
Essas informações foram divulgadas na última segunda-feira (28) em um artigo científico publicado nas Atas da Academia Nacional de Ciências (PNAS). Uma das causas para o problema com a obtenção de água potável é a intensa urbanização. Por isso, os países mais expostos são aqueles que sofreram um êxodo rural muito grande nos últimos tempos.
Segundo o estudo, na metade deste século poderá haver 990 milhões de pessoas vivendo com menos de cem litros diários de água, quantidade considerada o mínimo necessário para a sobrevivência. Isso significa que essas pessoas não terão água disponível para manter os níveis de higiene doméstica, ou até mesmo para cozinhar e beber.
Para Rob McDonald, um dos autores do estudo e participante da rede ambiental The Nature Conservancy, os resultados da pesquisa não devem ser considerados uma verdade absoluta e sim uma oportunidade de mudanças enquanto essas comunidades ainda têm tempo. “Não tomem os números como um destino. São o sinal de um desafio”, explicou ele.
Na Índia, as seis maiores cidades do país correm o risco de chegarem a esse nível. Na África, as cidades de Lagos e Cotonu, devem ser as mais afetadas, assim como Pequim (China), Manila (Filipinas), Lahora (Paquistão) e Teerã (Irã).
Já existem atualmente 150 milhões de pessoas vivendo nessa realidade, com menos de cem litros de água por dia, enquanto nos Estados Unidos, como em outros países desenvolvidos, a média de consumo diário de água é superior a 370 litros. Com informações do G1.

Fonte: Redação CicloVivo

terça-feira, 29 de março de 2011

Sustentabilidade - Italianos projetam poste com luz de LED movido a energia solar

Urban Solar Light (Imagem:Divulgação)
Italianos projetam poste com luz de LED movido a energia solar

A equipe de designers da empresa italiana Vinaccia Integral Design criou uma lanterna de LED, movida a energia solar, projetada para substituir os tradicionais postes de rua, utilizando somente energia renovável.
O projeto Urban Solar Light, como foi chamado, é uma homenagem à energia e a beleza que a natureza oferece. Com a sua fina haste metálica, o poste se acomoda discretamente na paisagem urbana e estrada ou nas vias verdes públicas. Graças a sua elegância e seu modelo menor, a invenção pode ser utilizada em pequenos jardins ou até mesmo em ambiente internos. A luminária pode ser instalada em qualquer lugar, já que não precisa estar conectada a nenhuma fonte de energia, exceto o sol.
A criação tem em sua composição alumínio, com painéis solares de silício mono cristalino que podem gerar até 100W de energia verde. A energia é armazenada em baterias, são liberadas automaticamente ao escurecer para que possam abastecer os faróis de LED, que consomem até 48W de energia, mesma quantidade de iluminação de uma lâmpada halógena de 500W.
As lâmpadas devem ser instaladas a uma altura de 3,70 metros e iluminam uma área de cerca de 16 metros quadrados. A alta performance das lâmpadas LED e a utilização dos painéis solares farão com que essas luzes trabalhem por cerca de 100 mil horas.

Videos - Tsunami que devastou Kesennuma - Japão


Tsunami que devastou Kesennuma - Japão

Imagens impressionantes do momento que a água avança sobre a cidade de Kesennuma - Japão, carregando tudo o que tem pela frente.

Energia - Quênia terá fazenda eólica com capacidade para 300 MW

Quando a usina estiver em funcionamento pleno, a energia gerada deverá ser suficiente para suprir 30% da necessidade do Quênia. (Imagem: Inhabitat)

Quênia terá fazenda eólica com capacidade para 300 MW

O Quênia está prestes a receber sua primeira grande fazenda eólica. O projeto, financiado por países desenvolvidos, pretende instalar uma estrutura com capacidade para 300 megawatts de produção de energia limpa.
O parque eólico deverá começar a ser construído ainda neste ano, para que esteja em funcionamento em 2013 e operando em sua capacidade total até 2014. Esta é a primeira estrutura deste porte instalada no continente africano, mais especificamente na região do Lago Turkana.
Quando a usina estiver em funcionamento pleno, a energia gerada deverá ser suficiente para suprir 30% da necessidade do Quênia. Os investimentos para tornarem esse projeto real serão provenientes dos Estados Unidos, da Holanda e da Dinamarca.
O parque contará com 365 turbinas eólicas, cada uma com capacidade para 850 quilowatts. Para isso a Dinamarca fornecerá 360 aerogeradores e o governo do Quênia receberá US$ 20 milhões em receitas de crédito de carbono.
Toda a energia gerada pela central eólica será transportada através de uma linha aérea de 428 quilômetros que vai até a companhia elétrica do Quênia, para que seja distribuída pelo país.

Energia - Usina termelétrica que reaproveita gases do lixo é instalada em Salvador

A Termoverde Salvador deve produzir energia suficiente para abastecer 300 mil casas. ( Imagem: Bahia Informa)

Usina termelétrica que reaproveita gases do lixo é instalada em Salvador

 
Na última semana a cidade de Salvador foi presenteada com a inauguração de uma usina termelétrica que usará os gases emitidos pela queima do lixo para produzir energia. A expectativa é de que sejam reaproveitadas 2,5 mil toneladas de lixo.
O projeto, de responsabilidade da Solví Valorização Energética, foi desenvolvido para conseguir suprir parte da demanda energética na capital baiana a partir de fontes limpas de energia. Para isso foi necessário investimento de R$ 50 milhões. Segundo o governador Jaques Wagner, os investimentos em estruturas deste tipo devem ser ainda maiores nos próximos anos, graças a negociações que devem ser feitas com empresas e representantes norte-americanos.
A Termoverde Salvador foi construída em uma área de sete mil hectares, no Aterro Sanitário Urbano, e possui potência de 19,73 megawatts, devendo produzir 150 mil MWh ao ano. A energia proveniente do lixo deverá ser o suficiente para suprir as necessidades de aproximadamente 300 mil residências.
De acordo com o presidente da Solví Valorização Energética, Latino de Carvalho, a medida impedirá que uma grande quantidade de gases de efeito estufa, principalmente o dióxido de carbono e o metano, sejam liberados na atmosfera. Isso colabora para a preservação ambiental e gera rendimentos com a produção energética.
A Coelba será a empresa responsável pela distribuição da energia, que chegará até a sede da empresa através de uma linha de transmissão de 7,8 quilômetros. A partir daí a eletricidade será encaminhada para empresas e outros consumidores. Com informações do Ambiente Energia.
 
Fonte: Redação CicloVivo

Arquitetura - Americanos criam terminal portuário movido a energia solar em Taiwan

O terminal de cruzeiro está localizado no porto de Kaohsiung, o maior porto de Taiwan. O novo terminal, movido a energia solar, irá acomodar o crescimento do turismo e dar uma cara mais ousada para a cidade. (Imagem:Divulgação)
Arquitetos americanos criam terminal portuário movido a energia solar em Taiwan

A proposta apresentada pelo escritório de arquitetura novaiorquino Sun and Associates para o transporte de passageiros do distrito do Porto de Kaohsiung (P.O.K. sigla em inglês), na cidade de Kaohsiung, em Taiwan ,é uma declaração abrangente da arquitetura de uso público e um projeto urbano verde.
"Para a totalidade do nosso projeto, nós queríamos articular a cultura da cidade e as funcionalidades dentro do novo Terminal de Cruzeiros e Centro de Serviços Portuários proporcionando flexibilidade e espaço para crescer e mudar com o cidade de Kaohsiung por muitos anos”, declarou o Sun and Associates.
A óbvia alusão a uma onda cria um ambiente acolhedor para os visitantes e fala de sua relação com as ilhas do mar. A torre abriga espaços multi-funcionais: um centro de conferências, escritório e parque urbano, ampliando a flexibilidade dos programas e a acessibilidade público/privada tudo isso com vista para água e o porto ao redor. A parte inferior do edifício é mais abrigada pelo telhado verde. Ele inclui um amplo espaço para os visitantes internacionais e domésticos.
O novo terminal pretende acomodar o crescimento do turismo e dar uma cara mais ousada para a cidade. Ele proporcionará a infra-estrutura necessária e um novo parque, que se funde com o tecido urbano existente.
O terminal faz uso eficiente de energia solar. Os painéis são integrados no telhado, arqueado na torre do terminal, para fornecer energia renovável. A fachada é orientada para maximizar a recuperação de raios de sol do dia.
Aberturas no telhado que imitam painéis solares facilitam a entrada de luz e ventilação ao átrio principal. O sistema de vidro sudoeste é protegido do sol direto por uma parede com persianas exteriores reguláveis feitas de contêineres reutilizados.
A abordagem oriental é graduada em direção à maior parte das instalações, com um telhado verde e um parque público localizado sobre o estacionamento subterrâneo. O átrio é ligado por espaços interiores e corredores altos abertos ao desembarque. O interior também contém andares com funções não designadas para se adaptar ao crescimento futuro.

Tecnologia - Chineses criam dispositivo para limpar água contaminada por petróleo

Oil Cleaning Guard: projetado para conter e prevenir a propagação do petróleo e, ao mesmo tempo limpá-lo do oceano. Além disso emite sinais para afastar aves e peixes do local contaminado por derrames. (Imagem:Divulgação

Chineses criam dispositivo para limpar água contaminada por petróleo

Um derrame de petróleo é considerado um desastre ambiental extremamente grave. Diante desse perigo e de desastres que ocorreram em diferentes lugares do mundo, um grupo de chineses criou o projeto “Oil Cleaning Guard”, para evitar esses acidentes e conseguir limpas a água de maneira eficiente.

É muito melhor prevenir do que remediar mas se por alguma razão uma plataforma de petróleo explodir, vazar ou até mesmo navios petroleiros participarem de algum acidente de transporte, o segundo plano tem que entrar em ação. Neste caso a única opção que resta é a remediação do problema. 

Os incidentes deste tipo se tornaram cada vez mais frequentes. Por isso,  um grupo de designers chineses constituído por Yi Zhao Xiaoyang Tingting Hu, Li Ran e Zhu, se sentiu instigado a criar o conceitual “Oil Cleaning Guard”. Este projeto não pretende somente conter e evitar a propagação de óleo, mas também visa limpar a água simultaneamente. 

Este veículo de ligação pode trabalhar em grupos para evitar que o óleo flutuante se espalhe para outras áreas do ecossistema aquático. Os materiais em fibras, usados na estrutura, tornam o sistema de separação óleo-água ecologicamente correto e eficiente.

O conceito foi projetado para conter e prevenir a propagação do petróleo e, ao mesmo tempo limpá-lo do oceano. Este aparelho ainda emite sinais para afastar aves e peixes do local contaminado, para evitar que os impactos do acidente na natureza sejam ainda maiores. 

Embora o seu funcionamento ainda não tenha sido totalmente apresentado pelos chineses, os designers afirmam que o sistema realiza um processo de filtração no local, separando o óleo da água. A ideia ganhou o prestigiado Prêmio Lotus 2010, mas ainda não deixou de ser um projeto.  
 

Fonte: Redação CicloVivo

Video - A saga da sacola plástica

A saga da sacola plástica

Um bem humorado vídeo, no melhor estilo Discovery Channel, contando a saga de uma sacola plástica, do momento em que ela é jogada na “natureza” até chegar ao seu lar, o “Great Pacific Garbage Patch” (assista a uma excelente palestra do TED clicando no link). Trata-se de uma área de tamanho desconhecido no Oceano Pacífico (estima-se que pode ter o tamanho dos Estados Unidos), que concentra boa parte de todo o lixo jogado diariamente nos oceanos.
Infelizmente está em inglês e sem legendas em português, mas assim que encontrar, posto aqui:

segunda-feira, 28 de março de 2011

Dicas - Tenha uma horta em casa!

 

Tenha uma horta em casa!


A ideia de cultivar hortas em casa não é exatamente nova, mas a iniciativa do empreendedor Eliel Bragatti, de 34 anos merece destaque. Ele criou e patenteou um sistema que utiliza tijolos ecológicos, que ele mesmo fabrica, para abrigar as mudinhas.
A Horta Pronta pode ser colocada em sacadas de apartamentos ou escritórios. O local deve receber luz do Sol diretamente de 4 a 5 horas por dia.
Você pode cultivar ervas como tomilho, manjericão, hortelã, alecrim, orégano, entre outros. O preço de cada horta é de apenas R$ 49,99, e o próprio Eliel entrega em sua casa (somente para SP). Para outras localidades, a entrega é feita pelo correio, sem as mudas plantadas.

Confira o site do Horta Pronta!

Tecnologia - Máquina cria água a partir da umidade do ar

 

 Máquina cria água a partir da umidade do ar

 

O número de pessoas que não possuem acesso à água potável aumenta cada vez mais, sobretudo nas regiões pobres do planeta. Já pensou se esse problema pudesse ser resolvido a partir do simples ato de apertar o botão de uma máquina? Essa é a proposta do H2O Pure, um aparelho que cria água boa para o consumo utilizando a umidade do ar como matéria-prima.

A máquina, cujo design se assemelha ao de um filtro de água, produz o recurso mais precioso do planeta a partir da compressão e condensação do ar. Durante o processo, o software do equipamento regula sua temperatura interna, para que aconteça o “ponto de orvalho” – isto é, para que a máquina atinja as condições necessárias para transformar o vapor em pequenas gotas de água. Em seguida, o recurso passa por três processos de filtragem e, segundo os fabricantes da H2O Pure, está pronto para consumo, livre de impurezas e agentes químicos.

A tecnologia, que foi inventada por brasileiros que trabalham em uma empresa mineira chamada HNF, é capaz de fabricar até 40 litros de água todos os dias. Tudo depende do nível de umidade do ambiente onde a H2O Pure está localizada: quanto mais úmido, mais água será produzida.

A máquina já está sendo importada para os mais diversos estabelecimentos brasileiros  – entre eles, escolas, empresas, hospitais e clubes – e, também, para outros países, como Argentina e Angola. Por enquanto, os consumidores apontam um defeito no aparelho: o preço, já que cada H2O Pure custa cerca de R$ 6,5 mil. Mas os fabricantes garantem que, com o aumento da demanda, o preço do produto cairá.


Fonte: Planeta Sustentável

Interatividade - Ajude a acabar com a caça às baleias

 


Ajude a acabar com a caça às baleias.

Cuidar dos oceanos exige enfrentar a caça de baleias no Oceano Sul. Ela é levada a cabo principalmente pelos japoneses, sob o pretexto de realizar  pesquisa científica subsidiada pelo seu governo.

Pela primeira vez em mais de 50 anos, o Japão tem um novo governo. Com novos governos vêm novos objetivos políticos. Isso significa que nunca houve melhor momento para pressionarmos o Japão  por uma mudança de política relativa à atividade baleeira.

Ajude-nos a tornar 2010 o último ano de caça às baleias no Oceano Antártico.


Clique aqui e crie sua baleia virtual que navegará pela internet levando sua mensagem de protesto ao governo japonês.

Campanha - Plante uma árvore pelo Twitter


Plante uma árvore pelo Twitter


O Plante uma Árvore é uma idéia muito simples: uma conta no Twitter que, a cada novo seguidor, planta uma árvore. A iniciativa é do IBFLORESTAS – Instituto Brasileiro de Florestas, uma organização sem fins lucrativos cuja missão é apoiar o reflorestamento, recuperação de florestas nativas e colaborar com o combate ao aquecimento global.
A iniciativa já tem mais de 11 mil seguidores, e a ideia é atingir 1 milhão. Para ajudar é muito simples: basta seguir @plantearvore no Twitter.

Siga-nos no twitter: @mundovidaverde

Energia - Que tal economizar 10% em sua conta de energia?

 

Que tal economizar 10% em sua conta de energia?

 
Com tantas maravilhas tecnológicas que temos à nossa disposição, fica difícil criar uma pequena lista para exemplificar. Mas temos em nossas casas uma grande parte dessa tecnologia, com nossos aparelhos de DVD, TV, microondas e tudo mais que possa ter um controle remoto ou o famoso modo Stand-by.

O modo Stand-by significa que seu aparelho eletrônico, sempre está pronto para funcionar, com apenas um toque no botão, isso é ótimo não é? Você chega cansado em casa, senta no sofá pega o controle remoto e com apenas um botão você liga a TV da sua sala. Mas toda essa comodidade tem um preço que você tem que pagar no final do mês e o pior, a maioria das pessoas nem sabem.

Funciona assim, para que seu aparelho eletrônico esteja sempre pronto para funcionar, ele consome energia elétrica, pouca, mas consome. E se você somar todos os aparelhos da sua casa que ficam em modo Stand-by poderá levar um susto. Geralmente são aparelhos que ficam ligados na tomada 24hs por dia, consumindo energia sem necessidade.

Faça o teste na sua casa por 1 mês e veja quanto você vai economizar, retire todos os aparelhos da tomada quando não estão sendo usados, TV, DVD, aparelho de som, microondas, carregador de bateria, fax, impressora, etc.

Você verá que o consumo pode diminuir em até 10%! E toda essa economia varia de acordo com a quantidade de eletrodomésticos que se tem em casa. Que tal começar a desligar as tomadas agora?

Videos - A história da garrafa d’água (The Story of Stuff )

A história da garrafa d’água

 

Annie Leonard passou 10 anos estudando as relações entre o consumo, o meio ambiente e a qualidade de vida dos estadunidenses. O resultado foi a produção de um excelente filme de 20 minutos - The Story of Stuff –  visto mais de 10 milhões de vezes, que ainda foi transformado em livro e palestras.
Dando continuidade ao seu trabalho, Annie criou “The Story of bottled water” (A história da água em garrafa), que traz um alarmante choque de realidade em relação às aparentemente inocentes garrafas plásticas.
Você sabia que a água em garrafa custa até 2.000 vezes mais do que a água da torneira – e nem sempre tem a mesma qualidade? Esse e outros dados você vê no vídeo abaixo, 



Sustentabilidade - A vida sustentável nas Ecovilas

Ecovila - A vida sustentável nas Ecovilas

Você já ouviu falar alguma em Ecovila?

Ecovila é um modelo de assentamento humano sustentável. São comunidades urbanas ou rurais de pessoas que tem a intenção de integrar uma vida social harmônica a um estilo de vida sustentável. Para alcançar este objetivo, as ecovilas incluem em sua organização muitas práticas como:
  • Produção local e orgânica de alimentos;
  • Utilização de sistemas de energias renováveis;
  • Utilização de material de baixo impacto ambiental nas construções (bioconstrução ou Arquitetura sustentável);
  • Criação de esquemas de apoio social e familiar;
  • Diversidade cultural e espiritual;
  • Governança circular e empoderamento mutuo, incluindo experiência com novos processos de tomada de decisão e consenso;
  • Economia solidária, cooperativismo e rede de trocas;
  • Educação transdisciplinar e holística;
  • Sistema de Saúde integral e preventivo;
  • Preservação e manejo de ecossistemas locais;
  • Comunicação e ativismo global e local. 
 
 Veja os videos abaixo sobre as Ecovilas: 

 

Energia - Carro abastecido por… cocô!


Bio-bug: um carro abastecido por… cocô!


Pode ler tranquilamente, não tem nada de escatológico nesse post. Ou mesmo de novo: o metano, liberado na atmosfera pelos dejetos dos animais é um gás altamente inflamável. Então, por que não utilizá-lo para abastecer um carro?
A companhia inglesa GENeco adaptou em Beetle para que ele pudesse receber o novo combustível, proveniente do tratamento de esgoto de 70 casas. Com isso, o Bio-Bug pode rodar por até um ano – com a mesma performance de um movido a gasolina. E ainda é possível alternar entre os combustíveis, caso um se esgote. Incrível, não?



Fonte: Autos Sustentável

Video - Consciente Coletivo 2





Sustentabilidade - O Computador Sustentável feito de papelão

 

O Computador Sustentável feito de papelão

 
Nascido de um projeto acadêmico na faculdade de Houston nos EUA o Recompute é um computador que se propõe a ser uma máquina funcional e ter uma produção de baixo impacto ambiental
Feito com um case (a caixa que protege as peças do computador) de papelão o computador vai além do visual eco. A marca tem a filosofia de empregar a sustentabilidade em todo o ciclo de vida do produto da produção ao descarte. A produção do computador por exemplo é feita de maneira mais eficiente possível, utilizando apenas o essencial e utilizando os componentes com o menor baixo impacto ambiental disponíveis no mercado.
Oque eu pessoalmente achei mais bacana é que empresa ensina e fomenta o reaproveitamento das peças e periféricos como teclado e mouse que você já possui, o site inclusive disponibiliza uma versão “monte você mesmo” do computador. Outro ponto super interessante é o suporte que a empresa dá no fim do ciclo de vida do produto, ou seja quando você for jogar fora ou trocar o computador a empresa direciona e ensina o cliente a enviar o seu computador para reciclagem.


O resíduo eletrônico ou lixo eletrônico é o nome dado ao descarte de produtos eletrônicos e eletrodomésticos como geladeiras, computadores, impressoras, televisões e outros. O grande problema destes produtos é que eles contém em sua composição metais pesados que são altamente tóxicos e que contaminam o solo, os lençóis freáticos e são extremamente perigosos aos seres humanos, principalmente aos catadores e as pessoas que residem próximas a lixão.
Por isto é super importante que empresas e revendedores fomentem o recolhimento deste resíduo e os entreguem para a reciclagem. Para se ter uma idéia da dimensão do problema em uma matéria do Estadão foi exibido um dado de uma pesquisa da ONU que o Brasil é o campeão de lixo eletrônico entre os países emergentes.


A grande sacada da marca é trazer uma nova mentalidade pra um mercado que não inclue o meio ambiente em suas prioridades e nós podemos dizer que ele é um que computador que literalmente que não faz papelão frente a sustentabilidade.



Fonte: Coletivo Verde / Mais: Recompute / Gráfico: Estadão

Tecnologia - Camiseta inteligente muda de cor com a poluição

Camiseta inteligente muda de cor quando exposta a poluição


Diariamente estamos expostos a grande quantidade de poluição e não conseguimos mensurar ou sentir a curto prazo os impactos desta exposição em nossa saúde. Mas apesar de desapercebida esta exposição ao longo do tempo é extremamente danosa ao nosso corpo.
Para questionar e alertar sobre este problema os designers Nien Lam and Sue Ngo desenvolveram uma camiseta inteligente que muda a cor de sua estampa quando detecta poluição atmosférica.
As estampas são desenhos que representam o pulmão e o nosso coração, dois dos orgãos que mais sofrem com a poluição e logo que “percebem” as toxinas no ar mudam as cores de suas veias para uma cor azulada.

 
Detectando fumaça provindas de fábricas, carros e cigarros a camiseta alerta a pessoa de que aquele local esta poluido e que todas as pessoas ao redor estão expostas a toxinas.
Para criar este efeito é fixado um pequeno sensor de monoxido de carbono na camiseta que ao detectar poluentes envia sinais elétricos através de fios para a estampas dos orgãos. As estampas são feitas de tecido termocrômicos que ao receberem o calor dos fios muda de cor e criam o efeito na estampa.


Fonte: Coletivo Verde

Tecnologia - Celular-adesivo equipado com painéis solares.

'Telefone-adesivo' - é fixado à janela do carro e enquanto o motorista trafega por vários lugares, o celular absorve a energia solar. (Imagem:Divulgação)

Taiwanesa cria um celular-adesivo equipado com painéis solares


O projeto da estudante Liu Hsiang-ling, da Universidade Nacional de Ciência e Tecnologia de Taiwan (NTUST), de um celular com painel solar, foi um dos vencedores do prêmio conceito iF, de 2009, anunciado pelo Hanover-based International Forum Design GmbH (iF). A premiação internacional é direcionada aos estudantes das áreas de design e arquitetura.
O telefone celular possui painel digital, as teclas são feitas de polissiloxano (silicone) e possui painéis solares instalados na parte de trás do aparelho. Liu explicou que a ideia surgiu por sua própria experiência de condução. A recarga do dispositivo pode ser feita de maneira prática. Ele é fixado a uma janela do carro e enquanto o motorista trafega por vários lugares, o celular absorve a energia solar. 
O conceito por trás do telefone-adesivo é muito simples e também foi baseado em experiências verdadeiras. Boa parte das pessoas tende a colocar o celular perto de janelas para melhorar a recepção do sinal. Foi a partir desse costume que surgiu a ideia de adicionar um painel solar na parte de trás do dispositivo, para facilitar e aproveitar ao máximo a captação de energia solar. 

O corpo do telefone é projetado para ser levemente arqueado, isso facilita a aderência do aparelho à superfícies lisas, como uma janela de vidro. Para retirar o aparelho da janela basta arrancá-lo puxando a antena.
 


Fonte: Redação CicloVivo

sexta-feira, 25 de março de 2011

Especial Hora do Planeta - A importância em participar da Hora do Planeta


A importância em participar da Hora do Planeta


Se você está entre os que se preocupam com a preservação de nossos recursos naturais e sabe da importância do uso da energia de forma consciente para evitar o aumento do aquecimento global, apague a luz no próximo sábado, dia 26 de março, às 20h30 (horário de Brasília). A Hora do Planeta (Earth Hour) iniciativa da ONG WWF, propõe conscientizar a população mundial sobre essas questões através dessa manifestação, onde as luzes serão apagadas por 60 minutos em data e hora marcada.
Os dados divulgados em estações metereológicas do mundo inteiro sobre o aquecimento global são assustadores: em 2010, a temperatura do planeta chegou a 0.62ºC acima da média. Estamos vivendo o período mais quente da história. Para estimular a reflexão sobre a importância dessa consciência à respeito do planeta, vários países já aderiram ao movimento, e apagarão as luzes dos seus principais monumentos.
Quando A Hora do Planeta foi criada, em 2007, a cidade de Sydney, na Austrália, foi a primeira a aderir ao evento. Inclusive, a ideia partiu da rede WWF de lá. Hoje, a campanha conta com mais de 35 países participantes, entre eles Colômbia, Suécia, Filipinas, China, África do Sul, Canadá e Rússia e Brasil. Na edição de 2011, Cingapura será o primeiro país a ficar no escuro, de acordo com o fuso horário.
No Brasil, São Paulo cortará a iluminação da Ponte Octávio Frias de Oliveira (Ponte Estaiada), o Obelisco do Ibirapuera, o Monumento às Bandeiras, o Teatro Municipal, o Mercado Municipal e o Estádio do Pacaembu. A Biblioteca Municipal Mário de Andrade, reinaugurada no último mês de janeiro, também terá suas luzes apagadas. No Rio de Janeiro, o Cristo Redentor, os Arcos da Lapa entre outros monumentos também terão sua iluminação apagada. Já em Florianópolis, até uma rede de shoppings vai ficar no escuro! E pelo terceiro ano consecutivo, Acre e Rio Branco participam da manifestação mundial.
No site oficial dedicado à Hora do Planeta, há uma lista com mais de 100 empresas no Brasil que irão aderir à manifestação. Mas essa edição de 2011 tem um objetivo maior: a WWF quer trazer não só governos e prefeituras para participar, mas a população também. Algumas empresas e instituições estão promovendo programas para estimular seus funcionários a participarem. É o caso da Unilever, que tem feito uma campanha interna, transmitindo mensagens de consciência ambiental e engajando os colaboradores a participar da causa, além de promoções em site dos seus produtos na intenção de sensibilizar seus consumidores sobre a importância do movimento.
Participe você também! Se inscreva no site: http://www.horadoplaneta.org.br e apóie essa causa!


Fonte: MSN Verde

Sustentabilidade - Existem sistemas eólicos de energia para uso residencial?

 
 Existem sistemas eólicos de energia para uso residencial?

Por garantirem o estilo de vida contemporâneo sem agravar a poluição e o aquecimento global, as energias alternativas despertam cada vez mais interesse. Ambientalmente responsável, o uso de fontes “limpas” de energia ainda permite economizar com a conta de luz todo mês, o que as torna ainda mais desejáveis.
A energia eólica, proveniente dos ventos, é uma das principais soluções para a obtenção de uma energia limpa, criada sem detritos ou consequências negativas para nosso meio ambiente. A vista das vastas "fazendas", formadas por inúmeros geradores eólicos, parecidos com gigantes moinhos de vento, já é familiar em algumas partes do país, como no nordeste onde realizam a captação pública de energia.
Mas é possível ter geradores de menor porte, para abastecer apenas uma família? Geradores eólicos residenciais ainda são pouco utilizados no país, mas há muitos que apostam que essa solução ganhará muita força nesta nova década.
Há poucos pontos contra os geradores eólicos residenciais. O primeiro deles seria o ruído que as pás podem causar, incomodando o proprietário e vizinhos. No entanto a verdade é que os geradores contemporâneos trabalham com a aerodinâmica de tal forma que o ruído foi muito diminuído, tornando essa questão realmente secundária.
Outro problema é a rotação das pás atrair passarinhos e morcegos, causando dano ambiental. Estudos demonstram, no entanto, que o uso de cores mais fortes nas pás contrabalança esse problema.

Como funciona um gerador eólico?

Um gerador eólico é uma maquina formada basicamente pela união de três partes: o rotor, o gerador e a torre.
O rotor é composto pela união das pás, o eixo e demais engrenagens que em conjunto transmitem a energia do vento para o gerador. Essa "captação" ocorre pelo movimento de rotação das pás. Naturalmente, o desenho aerodinâmico e a quantidade de pás variam muito e são fundamentais para o bom desempenho do sistema.
O gerador é um equipamento que converte a energia mecânica em elétrica. Essa energia pode ser utilizada para substituir a energia proveniente da rede (como em um caso residencial) ou carregar baterias, ativar bombas de água e outros equipamentos.
A torre é a sustentação dos equipamentos descritos acima. Sua altura tem a ver com a arquitetura do sistema como um todo. Quanto mais alto, maior a tendência de vento. A altura está relacionada também com as dimensões das pás, da capacidade do gerador e assim por diante. A torre é a estruturação de todo o conjunto e, portanto, é muito importante para prevenir possíveis acidentes e manter tudo funcionando corretamente. Seu cálculo estrutural não depende apenas da altura, mas sim da força horizontal dos ventos, e das vibrações que as pás podem causar.

Como instalar um gerador eólico em minha residência?

Existe até quem consiga montar um gerador eólico doméstico a partir de manuais do tipo faça-você-mesmo disponíveis na internet. Entretanto, se você está de fato comprometido com a instalação de um sistema de energia alternativa em sua residência, sugerimos fortemente que procure uma empresa especializada no assunto, que vai ajudá-lo a verificar desde qual é o gerador mais adequado a seu caso até a primeira conta de luz.
Em termos gerais, o primeiro passo é uma avaliação da quantidade de vento existente na região onde fica sua casa. As regiões brasileiras litorâneas, em especial no norte e nordeste, por exemplo, possuem um excelente potencial de ventos.
Após a constatação de que há vento suficiente em sua região, a topografia deve ser considerada: no caso de zonas urbanas, os prédios e o relevo urbano podem ser inconvenientes para a captação da energia eólica. Esse fator deve ser sempre levado em conta. No caso de prédios, entretanto, um gerador eólico localizado na cobertura pode alimentar diversos apartamentos.
Uma vez que essas premissas básicas estejam cumpridas, o interessado deve verificar qual modelo de gerador seria mais adequado para sua residência, em função das dimensões, disponibilidade de ventos e desembolso de investimento desejado. Caso o seu gerador não seja capaz de suprir toda sua energia, mas apenas parte dela, consulte seu projetista de elétrica para verificar quais circuitos seriam alimentados pelo gerador eólico.
No caso da falta de vento, a energia da rede entra em ação e supre a demanda -portanto não entenda o gerador eólico como um total desligamento da rede pública, mas sim uma diminuição no consumo do sistema convencional.
Faça pesquisa com diversas empresas e procure o modelo mais adequado para sua construção e seu modo de vida. Quanto mais pessoas começarem a comprar e instalar esse tipo de equipamento, maior a concorrência entre empresas e assim o preço do sistema tende a baixar.  A natureza agradece!

Arquitetura - Templo budista é construído com 1,5 milhão de garrafas

 Templo budista é construído com 1,5 milhão de garrafas de cerveja


Na Tailândia, monges da província de Sisaket, que fica próxima a Bangkok, construíram com as próprias mãos o templo onde vivem, utilizando apenas garrafas usadas de cerveja! A coleta do material começou há 27 anos, mas os religiosos só iniciaram a construção quando juntaram algumas centenas de garrafas, necessárias para construir a torre principal do templo.
Hoje, o Wat Pa Maha Chedi Kaew, também conhecido como “Templo de Um Milhão de Garrafas”, possui crematório, salas de oração, acomodações para os monges e até banheiros para os turistas, construídos apenas com as garrafas de vidro – e cimento, para garantir a sustentação das paredes.
 
 
Além de coletar os vasilhames, os monges também vão atrás das tampinhas das garrafas, que são utilizadas para produzir os mosaicos com imagens de Buda que decoram as paredes do templo tailandês.
Wat Pa Maha Chedi Kaew virou atração turística no país e quem vai ao lugar para conhecer a edificação tem um dever: levar algumas garrafas de cerveja vazias, para garantir a ampliação do templo.


Fonte: Planeta Sustentável

Vida Verde - 5 dicas práticas de como ter uma vida mais “verde”

 5 dicas práticas de como ter uma vida mais “verde”

 
Pegada de carbono é a marca que nós deixamos no planeta, seja por nossas atitudes ou pelo nosso consumo, ou seja, tudo o que fazemos tem algum impacto. Porém, existem maneiras práticas e baratas de torná-lo cada vez menor.
A primeira opção é ter uma bicicleta. Esse meio de transporte é correto em todos os aspectos, desde o cuidado com o meio ambiente, já que não polui, até o benefício que ele pode trazer a saúde de seus usuários.
Uma questão que aos poucos vira realidade em muitas grandes cidades e já se comprovou acessível e eficiente é a proposta de morar próximo ao local de trabalho. Essa solução evita tanto o desgaste físico e emocional do trabalhador, que reflete em seu desempenho profissional, quanto no meio ambiente, pois reduz drasticamente os congestionamentos e emissões de gases de efeito estufa a partir dos meios de transporte.
Reduzir o consumo de carne vermelha também é um jeito efetivo de minimizar a quantidade de gases de efeito estufa que nós emitidos como consequência da nossa alimentação. Isso não quer dizer que todos precisam se tornar vegetarianos, mas a carne vermelha pode ser substituída por outros alimentos durante a semana e consumida livremente aos finais de semana. Assim como o ciclismo, esse controle alimentar também pode beneficiar muito a saúde e ainda contribuir para o controle de doenças como a obesidade e o colesterol alto.
Ainda em relação à alimentação uma boa opção é o consumo de produtos locais e sazonais. Além de isso garantir que os alimentos chegarão ao consumidor final mais rapidamente e fresquinhos, a prática incentiva o desenvolvimento do comércio local, gerando renda e emprego na própria comunidade.
O consumo consciente é um dos pontos mais importantes para que a redução da pegada de carbono seja alcançada e é também um dos mais difíceis de serem colocados em prática. O ideal seria que as pessoas comprassem somente aquilo de que realmente precisam, para evitar desperdícios e o consumo exacerbado. A dificuldade está no fato de que o capitalismo é praticado em quase todo o mundo, com a filosofia totalmente inversa a essa.
Ter práticas de vida mais sustentáveis não significam necessariamente grandes mudanças ou gastos. Pelo contrário, muitas ideias para reduzir as emissões pessoais de gases de efeito estufa acabam gerando economia e estão acessíveis a qualquer pessoa.

Fonte: ClicoVivo